Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Martin Gore - Grafite!

    Muitos amigos já sabem da minha obscura paixão por músicas tristes e depressivas. Não por eu ser obscuro e depressivo (e sim, eu sou às vezes), acontece que estas músicas despertam em mim algo ancestral, que é impossível descrever com palavras. Já dizia o poeta, que a tristeza permeia a alma do artista. Eu concordo! Se não fosse uma pitada de tristeza, o que seria das obras que nos emocionam? 

     Estar triste não é ruim, ser triste sim! Eu me elevo na tristeza de músicas melancólicas e depressivas, não por eu as achar essenciais, mas por eu as sentir de forma mais intensa... O que seria do clássico "Romeu e Julieta" sem o mórbido desfecho das história? A tristeza foi inserida nas artes, não pra nos tornar depressivos, mas sim, para nos elevarmos e para que possamos refletir sobre o mundo e sobre nós mesmos! A tristeza não é uma condição imposta, mas sim, um estado de espírito, pelo qual devemos passar e com isso evoluir. 
     Ser gótico traz esse essência. Não de ser ou não triste, mas de ver a beleza e a evolução através da mesma. Quase me tornei gótico em um determinado momento da minha vida, mas esta referência me fez bem,  fez com que me tornasse quem sou. Uma das principais bandas da minha vida foi "Evanescence". Eu ouvi a banda na hora certa, e com ela, eu pude evoluir e aprender muito. No ano passado, fui apresentado a uma banda que me emocionou, chamada "Depeche Mode"! A banda é excelente e as músicas que trazem o vocal do Martin Gore são as minhas favoritas!
     Eu decidi tentar ilustrá-lo mas acredito que não deu muito certo... Aqui ele é um garoto, quando a banda estava no auge. Hoje - Imagino - ele é um coroa, mas digno do meu respeito, por me emocionar e por acrescentar na minha vida. Agradeço a Thina Curtis, quem me apresentou - de certa forma -  a banda, através do FaceBook... Abraços a todos e um ótimo final de semana!

    PS: Fotografia que me serviu de inspiração - Clique aqui!

4 comentários :

N@ Benites disse...

Essa preferência por musicas depressivas parece ser regra para a maioria dos desenhistas(já encontrei muito por aí).Eu tambem gosto muito de gótico,apesar de não ouvir com tanta frequência agora.Quanto ao desenho ficou muito bom,só acho que o cabelo tinha que ser menos liso.

Elba Mara Mendonça disse...

É Takamura existe a essa diferença mesmo , estar e ser triste , muda muito. Acho que melancolia normalmente vem para nos revolucionar, sempre que ela chega eu sei que quando passar serei uma pessoa melhor e mais feliz. Realmente faz o artista crescer e com isso sua obra, que é baseada em puro sentimento!

Takamura disse...

Bruninha muito obrigado pelo seu comentário, sempre muito bem vindo claro. Sim, percebo que muitos desenhistas seguem um certo padrão, e isso de ser um tanto melancólico é bem normal.

Abraços linda.

Takamura disse...

Elba-chan, você tocou num ponto muito verdadeiro aqui. Depois que passamos por algumas crise, impossível não notar o quão fortes nos tornamos.

Abraços querida e muito obrigado pela visita.

Postar um comentário

Obrigado a todos pelos comentários. Estamos sempre buscando a evolução para que possam ter fanzines de qualidade em mãos.
PS: Não aceitamos comentários Anônimos. Grato por se identificar!